home Entrevistas, Renata de Albuquerque Empresários do SPTIC participam de consultoria de planejamento estratégico no Sebrae

Empresários do SPTIC participam de consultoria de planejamento estratégico no Sebrae

Por: Renata de Albuquerque

 

Empresas de diversos setores participaram, no Sebrae, de uma intensa capacitação em planejamento estratégico. Foram 20 horas de aula e mais de 28 horas de consultoria. Participaram  da iniciativa dois membros do grupo SPTIC: o engenheiro de computação Marlon Gripp Chermont, sócio-diretor da P2S Tecnologia; e Marco Aurélio Damiani, engenheiro de produção mecânica  com especialização em qualidade industrial e sócio-diretor administrativo da Broker Serviços e Representações. Foram cerca de dois meses de trabalho com empresa de diversos ramos: corretora de seguro,  indústria de alimentação, TI, consultório dentário, salão de beleza e distribuidora de DVD.

O objetivo do trabalho foi reposicionar o modelo de negócio de cada empresa participante. “É um programa do Sebrae que fornece ferramentas e consultoria para a realização do Planejamento Estratégico da empresa. Ele é divido em horas aula – em que são apresentadas as ferramentas – e horas de consultoria, nas quais o consultor avalia individualmente o planejamento de cada empresa”, detalha Chermont.

Nas aulas expositivas eram apresentadas ferramentas de planejamento. A consultoria, com duração de quatro horas, tinha como finalidade avaliar as dificuldades e necessidades especificas de cada empresa.

Dentro do planejamento estratégico, as empresas puderam realizar uma análise do negócio do ambiente macro e setorial, diagnóstico da empresa, implantação da estratégia e plano de ação estratégico. “A maior dificuldade dos empresários participantes era manter a disciplina e o foco para executar o planejamento estratégico em concorrência com o dia a dia de trabalho”, aponta Damiani, em um alerta de que o planejamento estratégico do negócio pode fazer a diferença para alcançar o sucesso, mas que o cotidiano muitas vezes impede os pequenos empresários de terem essa atitude reflexiva.

“Ao fazer parte do curso, os empresários foram obrigados e encontrar tempo em sua agenda para refletir sobre os seus negócios e os caminhos que gostariam de seguir, levantando um plano de ação, um planejamento financeiro e um conjunto de indicadores para os objetivos definidos”, acredita Chermont.

Para Damiani, a conduta pessoal, a visão administrativa do negócio e o que precisa ser melhorado no negocio foram os aspectos que sofreram maior impacto positivo na experiência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *